Post: 12177 | Data: 06/02/2018 | Visitas: 194

Riachão do Jacuípe - Jacuipense só empata, frustra o torcedor e sai vaiado de campo

O Jacuipense voltou a decepcionar o seu torcedor neste domingo (04), ao empatar por 1×1 com o Atlântico, na Arena Valfredão, em Riachão do Jacuípe. O resultado só não foi pior porque o Jacobina, o outro concorrente na parte baixa da tabela do Baianão, também empatou dentro de casa contra o Bahia.

 

Diante de mais de 1.500 torcedores, o Leão do Sisal começou o jogo de forma eletrizante e logo aos 30 segundos de bola rolando teve um pênalti a seu favor.  Encarregado da cobrança em razão de Danilo Rios estar no banco, o lateral Paulinho fez muito feio: sem tomar distância, botou a bola sobre o travessão, para desespero de todos.

 

Apesar disso, os jogadores não perderam a cabeça, com a equipe criando oportunidades e tendo mais posse de bola durante todo o primeiro tempo. Cauteloso, o Atlântico foi ao ataque com perigo apenas uma vez, num chute forte de Mateus sobre a trave, aos 05 minutos.

Na segunda etapa, com Danilo Rios no lugar de Simplício, a impressão que se tinha é que o time ganharia mais criação no meio campo, facilitando as jogadas de ataque. Sem ritmo, o meia acrescentou pouco coisa, embora o passe tivesse ficado mais organizado.

 

Aos 09 minutos, depois de muito tentar, o Jacuipense chegou ao tão sonhado gol, marcado por Brasão, que havia entrado no lugar de Felipe Fidêncio. A arquibancada explodiu de alegria, mas duraria pouco tempo.

 

Pressão do Atlântico

 

Depois de sofrer o gol, o Atlântico foi pra cima para tentar o empate. Primeiro chegou através de uma cobrança de falta, aos 15 minutos. Aos 25m, após pênalti infantil cometido por Birungueta, Jony deslocou o goleiro Jordan e empatou a partida. Uma ducha fria para o Leão do Sisal, que sonhava com os três pontos para se distanciar da zona do perigo no Baianão.

 

A partida ficou muito tensa, com equilíbrio predominante. Apesar da pressão desordenada do Jacuipense, os contra-ataques do Atlântico eram sempre perigosos, principalmente porque o lado esquerdo da equipe, que havia sido o ponto alto da primeira etapa, começou a apresentar falhas.

 

Aos 30 minutos, quase que Birungueta se redimi do pênalti que cometeu. Após confusão na área, a bola sobrou para ele, que tocou por cobertura, com o goleiro fora do gol. A bola passou raspando a trave, mas algo estranho desviou a sua trajetória.

 

Por fim, o jogo terminou mesmo empatado em 1×1, com o torcedor vaiando muito os jogadores e o técnico Jonilson Veloso na saída de campo.  A próxima partida será fora de casa, contra o Vitória da Conquista, no Lomanto Junior.

www.interiordabahia.com.br
Por: Interior da Bahia

Seja o primeiro a comentar esta postagem!


Nome:

Comentário:

Design: Catu Informática | Ediomário Catureba

Rua Joel Campos, 125 - Alto de Guinho - Baixa Grande - BA

E-mail: ediomario@baixagrande.net - Tel: 74 99962 3779