Com risco de extinção, tamanduá-bandeira é resgatado pelos Bombeiros Civis em Ipirá

Postado em: 02/01/2019 | Por: Ipirá Noticias

Um tamanduá-bandeira foi resgatado pelos Bombeiros Civis num terreno baldio, no Bairro Morro da Alegria, em Ipirá.

Segundo informações da Associação dos Bombeiros Profissionais Civis e Voluntários de Ipirá (ABOMPROCI), a equipe recebeu o chamado inédito de moradores na noite desta segunda-feira (01), para capturar um animal que estava preso entre duas paredes.

Ao chegar no local, a equipe se deparou com um tamanduá-bandeira jovem e com aparência de faminto e fraco. Acredita-se que algum morador da região criava o animal em cativeiro.

A direção da ABOMPROCI informou que entrará em contato com o Ibama para dar destino ao animal.

Tamanduá-bandeira – em extinção

O tamanduá-bandeira, urso-formigueiro-gigante ou papa-formigas-gigante (Myrmecophaga tridactyla) é um mamífero xenartro da família dos mirmecofagídeos. Os tamanduás, juntamente com os tatus e os preguiças pertencem à Ordem Xenarthra que significa “articulação diferente”. encontrado nas Américas Central e do Sul. Os tamanduás são os únicos mamíferos que não possuem dentes, enquanto que seus “parentes” tatus e preguiças possuem dentes incompletos, sem a presença de esmalte.

Pacífico, alimenta-se de formigas e cupins que se escondem nos enormes cupinzeiros. Vive no chão, mas sobe bem nas árvores e é capaz de nadar. Por ser míope, de pouca audição e sem defesa, não é dos maiores corredores do mundo animal, e por isso é um alvo fácil para os caçadores. Solitário, fica dormindo a maior parte do dia em lugares escondidos e cobertos com a própria cauda.

Perigo de extinção

No Brasil o tamanduá bandeira encontra-se em perigo de extinção, cujas fêmeas têm um único filhote por ano, muito pequeno e frágil, que é carregado nas costas da mãe até cerca de um ano de idade, tornando-se assim muito vulnerável aos predadores, além de que a fêmea não tem um instinto materno muito apurado e algumas vezes abandona sua cria logo nos primeiros dias de vida. Outro grande problema que pode afetá-los é a destruição do seu habitat.

Um tamanduá-bandeira adulto pode atingir 60 kg de peso e um comprimento até 120 cm, mais 90 cm para a cauda

Pelagem cinza com uma diagonal preta bordejada de branco, estendendo-se até o peito, sobre os ombros em direção às costas

Cinco meses de parceria entre ABOMPROCI e a Prefeitura de Ipirá

Nestes cinco meses de atuação em parceria com a prefeitura de Ipirá, já foram capturados 65 enxame de abelhas, salvamento de várias aves em situação de risco, além de cães e gatos.

A ABOMPROCI também vem se destacando no trabalho de socorrismo de vítimas de acidentes, enfermos, combate a incêndio, além de captura de animais em situação de risco ou que coloque a comunidade em risco.

O que acontece com os animais capturados?

As abelhas são doadas para apicultores ou soltas de volta à natureza em local seguro, as aves devolvidas à natureza, enquanto que os cães e cachorros são devolvidos aos seus donos, e no caso dos donos que não aparecem, estes animais recebem os devidos cuidados na base da ABOMPROCI e depois são colocados a disposição para serem doados.

www.ipiranoticias.com.br
Postagem nº: 14026 | Visitas: 278


PUBLICIDADE



Design: Catu Informática | Ediomário Catureba

Rua Joel Campos, 125 - Alto de Guinho - Baixa Grande - BA

E-mail: ediomario@baixagrande.net - Tel: 74 99962 3779


utilizadores online